quinta-feira, 10 de junho de 2010

Grandes sons (IV) - Alguma música Portuguesa

Mais uma vez, ora viva, estimados leitores!

Sendo que o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas terminou há pouco tempo, decidi deixar-vos aqui alguma boa música Portuguesa.

Assim de repente, olhando para a minha biblioteca musical, foi isto que arranjei. Músicas mais ou menos recentes para vários gostos ou, em particular, para o meu gosto.

Divirtam-se!


CineMuerte - I'm a Fool But I Love You




Dazkarieh - Caminhos Turvos




Dead Combo - Putos A Roubar Maçãs




Deolinda - Clandestino




Foge Foge Bandido - Tu Não Tens De Mudar




Hyubris - Orpheu

>


The Legendary Tigerman - Life Ain't Enough For You




Linda Martini - Amor Combate




Mandrágora - 30 Doradus




Moonspell - Scorpion Flower




Mundo Cão - Ordena Que Te Ame




Riding Pânico - E Se A Bela For O Monstro




Rita Redshoes - Choose Love




Uxu Kalhus - Erva Cidreira




Doei!

Um pouco mais de Nijmegen

Pouquíssimo baratos leitores,

No fim-de-semana passado (que incluiu o feriado de 3 de Junho - é o que faz ter uma mistura de feriados Holandeses com feriados Alemães) recebi uma bela visita Polaca nesta pacata localidade.

Curiosamente, enquanto a visitante andou por cá, fomos brindados com sol e calor. Recordo-me de várias vezes olhar para o céu, num dos dias, e não conseguir vislumbrar qualquer vestígio de nuvem. Zero. Completamente azul. Isto, meus senhores, ou muito me engano ou é inédito desde que cá cheguei.

Muito bem, já percebi que, depois de levar com bom tempo em Groningen e Edimburgo, isto foi apenas mais um episódio de CASPA (Céu Azul e Sol Para os Amigos - ou neste caso para mais que Amigos). Não liguem, de vez em quando gosto de usar uns acrónimos.

Desta vez não fui eu a andar com a máquina fotográfica, por isso não tenho fotos, de momento.

Posso, no entanto, escrever um pouco sobre os dias de sol.

Dado que normalmente ando por aqui sozinho, raramente vou a restaurantes, cafés, etc. Simplesmente não me apetece estar numa mesa sozinho a comer ou beber. Bem, por vezes acontece, mas não é normal.

Andando acompanhado, e com um tempo daqueles, oportunidades não faltaram para isso. Desde esplanadas variadas, no centro ou perto do rio, até ao restaurante de tapas que já experimentara, e que recomendo. Nada como uma bela cerveja fresca e uns cubos de queijo, enquanto se desfruta de tórridas temperaturas de 25ºC .

Um local onde ainda não tinha ido é precisamente o céu (De Hemel), onde se produz a cerveja local. E que cerveja, meus amigos... De todas as cervejas loiras que já bebi por aqui, aquela foi provavelmente a melhor. Já tinha provado uma, mas não aquela. Aconselho-vos a fazer-me uma visita de modo a que eu arranje mais desculpas para lá ir. :) Para além de beber cerveja, também se pode comer, tanto no interior como cá fora na esplanada. Vale bem a pena.

Claro que tenho de recomendar também o bacalhau à Brás que eu mesmo confeccionei, acompanhado por um belíssimo Alvarinho. Maravilha.

Para além de comer e beber, houve ainda tempo para uma ida ao museu Valkhof, que dá a conhecer um pouco da rica história desta cidade. Nada de extraordinário, mas acho que vale uma visita.


Como grande momento cultural do fim-de-semana, divulguei um pouco do cinema Português. Sem qualquer dúvida sobre o que escolher, foi com satisfação que, na última visita a Portugal, constatei que o DVD que pretendia tem legendas em Inglês. "A Canção De Lisboa", pois claro.

Devo admitir que não conheço muito do nosso cinema, mas do pouco que conheço este é certamente dos filmes que mais gostei de ver. E a verdade é que, depois de muitos anos, soube bem voltar a vê-lo. Nada como relembrar frases marcantes da minha infância como "Chapéus há muitos, seu palerma!" ou "Avó, aquele boneco bateu-me!", a incontornável "Caneiro amigo, andamos todos ao mesmo!", e ainda o inesquecível Esternocleidomastoideu.


E pronto, muito resumidamente foi isto. O resto não é para aqui chamado. :P


Doei!