segunda-feira, 2 de julho de 2007

Sicilia

Ciao!


Pois, é verdade, durante três dias (entre 28 e 30 de Junho) estive, com um grupo de portugueses, na ilha onde surgiu essa organização responsável por diversos actos de caridade por esse mundo fora - a máfia.

Depois de um voo (atrasado, claro) de aproximadamente 1h, chegámos então à capital da Sicília - Palermo.

Apesar de ter visto pouco, pareceu-me uma cidade simpática, mas a precisar de algumas obras, principalmente no que toca ao aspecto degradado de alguns edifícios. Para lá andar de carro, há ainda que ter em conta o caos do trânsito, bastante mais expressivo que em Roma.

Fora do centro da cidade, dá para apreciar belas paisagens proporcionadas pela mistura de praia e montanha. Aliás, essas paisagens são uma constante nesta ilha.

Uma ida à praia de Mondello serviu para verificar que a água é bastante quente naquela zona, e também que as praias da Sicília são muito bem frequentadas (estou a falar de banhistas do sexo feminino, claro).


Praia de Mondello

E pronto, depois de uma cerveja numa esplanada, fomos, no "nosso" Lancia Y, a caminho de Taormina.

Uma bela viagem, que seria melhor ainda se fosse totalmente feita durante o dia, principalmente a passagem por várias aldeias nas montanhas vizinhas do Etna.

Por termos feito uma boa parte do caminho em estradas secundárias nos montes, chegámos a Taormina bem à noite. Lá arranjámos um "Bed & Breakfast", comemos e dormimos.

De manhã deu para apreciar as vistas fabulosas sobre as praias naquela zona. Taormina é uma das mais famosas estâncias turísticas da Sicília, pelo que é muito direccionada aos turistas. Por esta razão preferi as pequenas aldeias nas redondezas, mais pacatas e sem grande confusão. De qualquer forma, toda aquela região tem paisagens deslumbrantes.



Vista sobre Taormina


Eu ao lado do meu grande amigo Etna


O nosso bólide

Depois de algumas fotos pela costa, fomos almoçar a uma aldeia chamada Santa Tecla, onde comemos uma pasta de algas e marisco frito, ao pé de uma praia de calhaus, antes de rumarmos ao mais alto
vulcão da Europa.


Praia em Santa Tecla


Pasta de algas, água e vinho siciliano

Devo dizer que aquilo que mais gostei foi mesmo a subida ao Etna, embora não tenhamos ido mesmo até ao topo, mas 400m mais abaixo. Só faltou uma torrente de lava para animar mais o dia, mas pode ser que da próxima vez tenhamos mais sorte.

Na verdade, não há muito para ver lá em cima, resumindo-se a um monte de rocha vulcânica e cinzas espalhadas por quilómetros, com alguns blocos de gelo pelo meio, algum vapor de água a libertar-se por entre as rochas e, curiosamente, joaninhas, normalmente nestas mesmas rochas quentes.

De qualquer forma, o facto de estar 2900m acima do nível do mar num dos vulcões mais activos do mundo, é algo de espectacular (para mim, pelo menos). Se lá quiserem ir, levem uma camisola ou qualquer coisa do género porque, mesmo nesta altura, lá em cima o vento é muito frio. Mas claro, nós somos os maiores, e subimos com grande naturalidade em calções e t-shirt, para mostrar ao Etna quem manda...



Limpeza do gelo


Dragonball Z @ Etna


Isto com lava devia ficar porreiro...


Muito lá ao fundo, os autocarros todo-o-terreno que nos trouxeram


Colónia de guardiãs do Etna

Depois do Etna, o destino seguinte foi Agrigento. Chegámos lá ao final da tarde, e instalámo-nos num bungalow no parque de campismo. Vi muito pouco da cidade, mas não me pareceu muito apelativa.

À noite ainda deu para ir até à praia tomar um banho. A água continuava a parecer uma sopa, embora os sicilianos achassem que estávamos malucos ("Água a 23 graus? Que frio..."). Gostaria de os ver então nas nossas praias do norte de Portugal... Isso é que é água como deve ser... :)

No sábado, para terminar as visitas, fomos ao vale dos templos (talvez a única boa razão para ir a Agrigento), que consiste num conjunto de templos em ruínas, pertencentes à antiga Akragas, uma importante cidade e centro cultural da grécia antiga.



Um dos templos gregos

E pronto, estava na hora de irmos embora, e voltámos para Palermo para apanhar o avião de regresso. Ainda deu tempo para uma festa de aniversário em Frascati antes do descanso...

Resumindo, esta viagem valeu bem a pena, embora 3 dias não sejam suficientes para visitar tudo o que gostaria. Terei de lá voltar, no futuro, portanto. :)


Ciao!

4 observação(ões) de carácter irónico ou mordaz:

Fábio disse...

Mas este gajo não trabalha????
Só vejo festas, ramboia, praias, pedras, montes... Não vejo nada de trabalho, computadores, pressão, horas extra...
Também quero trabalhar aí!
Vê mas é se voltas a este país fantastico... de preferencia volta com sede pois as nossas férias na tocha prometem :)
Já agora, tras uma botelha de Limoncello...

Ciao

Fábio Maia

Ana Oliveira disse...

Será o meu destino de férias em Setembro,e depois de ler o relato de 3 dias, fiquei com vontade de passar lá no minimo 8!hehehe
Vale a pena não vale?:D
Beijo

MrRogers disse...

Certamente que vale a pena. Se tivesse oportunidade de lá ficar 8 dias, nem pensaria duas vezes. :)

Rejane disse...

OIIII EU TAMBÉM FUI NA CIDADE DE SILINUNTE, A SICILIA É LINDA, ALIÁS A ITÁLIA É LINDÍSSIMA.