sábado, 2 de novembro de 2013

Cerveto da Soneja


Antes de mais, perdoem-me os verdadeiros poetas.
Já há muito que perdi a prática, mas há coisas que merecem uma nova tentativa... :)

Cerveto da Soneja

Cor de palha, âmbar ou dourada,
Castanha, preta ou avermelhada.
Límpida como água cristalina
Ou então baça como a neblina.

De aroma floral ou bem frutado,
Com caramelo ou mesmo torrado.
Traz tanto doçura como amargor
E pode refrescar ou dar calor.

Não importa se é Inverno ou Verão,
Onde, com quem ou como se esteja,
À tarde, madrugada ou ao serão.

A bebida que a mente deseja
E pela qual implora o coração
É aquela divina cerveja.

Nijmegen, 2013



1 observação(ões) de carácter irónico ou mordaz:

Portuguese Girl With American Dreams disse...

E a primeira vez que estou no teu blog. Li quase todo. Tal como tu tambem decidi partir a aventura e estou a viver em NY.

Desejo-te tudo de bom:)